tipos de farinha capa

Em uma noite de sexta-feira, um cliente exigente visita um restaurante e pede uma massa fresca. Dedicado, o cozinheiro  – que não é um especialista em massas, mas conhece uma boa receita – começa a produção de um talharim totalmente artesanal. Ao finalizar a obra prima, ele pede que o garçom mais educado da casa leve o prato ao cliente e, na volta, recebe uma má notícia: o cliente queixou-se da textura da massa. E agora?

Do outro lado da cidade, na mesma sexta-feira, uma pizzaria nova recebe seu primeiro pedido e, devido à inexperiência do pizzaiolo, logo recebe a mesma reclamação: a massa não está boa.

Alguma dessas situações já te aconteceu? Se a resposta for positiva, o artigo a seguir vai te ajudar contando um pouco sobre os tipos de farinha disponíveis no mercado, suas características, e possíveis aplicações em cada prato.

Os tipos de farinha

tipos de farinha 1Há diversos tipos de farinha no mercado: de trigo, arroz, milho, aveia, centeio e mais uma infinidade. No entanto, nem todas elas favorecem a produção de pizzas, biscoitos ou determinados tipos de macarrão. Cada farinha tem uma característica e resulta em um produto diferente, portanto, conhecê-las bem é essencial para que você tenha sucesso ao servir um prato e saiba manuseá-las.

Uma massa pode ser suave, macia, friável (que se fragmenta facilmente) ou esponjosa, dependendo do tipo de farinha utilizada em sua produção e da mistura que a acompanha. Além disso, fatores como o ambiente, a temperatura do forno, o tipo de cozimento, tipo de fermentação e até o manuseio da massa podem influir em seu resultado.

Você conhece as características de cada tipo de farinha e sabe extrair delas o melhor resultado?

Farinhas e números

tipos de farinha 2Todo mundo sabe que a farinha mais popular quando o assunto é o preparo de massas é a de trigo. O que algumas pessoas não sabem e pode fazer total diferença no resultado final de um alimento, é que a farinha de trigo tem diversos graus de peneiração, níveis de glúten e até proteína. Saiba um pouco mais sobre 4 tipos de farinha a seguir:

Farinha branca tipo 00

Extremamente refinada e 100% natural, a farinha de trigo 00 é feita a partir de um grão mais fraco, absorve mais água e tem um menor teor de glúten, conferindo à massa uma leveza significativa e a aeração ideal. Com ela, é possível trabalhar com produtos de fermentação mais longa, completando seu processo completamente e conferindo mais aroma, sabor e, principalmente, uma fácil digestão.

Atualmente, este tipo de farinha não é produzida em moinhos nacionais – sendo importada da Argentina, Canadá e Itália.

Dica da eComanda: Caso não encontre a farinha 00 importada para vender, você pode usar a farinha tipo 1 e, para cada xícara requisitada na receita, substituir 2 colheres de sopa dela por amido de milho. Aí é só peneirar os dois juntos por cinco vezes antes de utilizar para que os ingredientes fiquem incorporados e bem aerados.

Para que tipo de quitute esta farinha é ideal?

Este tipo de farinha é mais apropriado para bolos, porque seu processo de branqueamento faz com que ela fique mais ácida, espalhando a gordura da massa de forma homogênea – isso favorece os bolos de textura delicada, com bastante açúcar e que precisam crescer de forma uniforme. Não é ideal para massas que precisam ser muito elásticas, devido ao baixo teor de glúten.

Farinha branca tipo 0

Com um teor de glúten superior ao da farinha 00, a farinha branca tipo 0 costuma ser branqueada naturalmente e, geralmente, tem adição de ácido ascórbico (ferro) para ajudar no volume e textura das massas.

Para que tipo de quitute esta farinha é ideal?

Porque ela ajuda na construção do volume e textura das massas, este tipo de farinha é ideal para pães. Devido ao seu alto teor de glúten também é indicada para massas de macarrão e pizzas, que precisam ser um pouco mais elásticas, ainda que leves.

Farinha tipo 1

Conhecida como farinha tipo 1, especial ou especial orgânica, esta é uma farinha considerada versátil e útil para todos os propósitos devido a sua moagem mesclada feita de grãos fracos e fortes de glúten. Pode ser braqueada quimicamente ou naturalmente, se for orgânica – a versão orgânica resulta em melhores pães.

Sua versão com versão fermento químico em pó e bicarbonato de sódio isenta o acréscimo de mais fermentos em bolos, mas vale ficar ligado na quantidade de fermento contida em cada farinha, porque isso pode variar bastante.

Para que tipo de quitute esta farinha é ideal?

Como dito anteriormente, esta é uma farinha considerada versátil e pode ser utilizada em diversas receitas. A farinha tipo 1 é a única que você encontrou no supermercado? Não tem problema, ela vai servir para sua receita se for bem manuseada.

Farinha tipo 2

Semelhante à farinha tipo 1, a diferença aqui está na qualidade dos grãos. Enquanto a farinha tipo 1 pode ser considerada de primeira qualidade por ser bem branca e ter grãos melhores, a farinha do tipo 1 pode ter mistura de grãos e é mais amarelada.

Para que tipo de quitute esta farinha é ideal?

Quer fazer biscoitos ou um pão de ló? A farinha tipo 2 pode ser a ideal por ser extraída da parte mais externa do grão de trigo, armazenando menos água e ofertando um valor nutricional maior.

A classificação de farinhas no Brasil

tipos de farinha 3Como cozinheiro, gestor ou curioso do ramo, você precisa saber que a classificação dos tipos de farinha que você viu agora pode variar de acordo com o país e essa variação pode ocorrer não apenas no nome, mas na forma de produção da farinha.

No Brasil, por exemplo, farinhas são classificadas pela quantidade de cascas misturadas a ela. Assim, uma farinha de número 00 seria mais pura – mas não necessariamente melhor – , e a farinha integral seria a com maior proporção de casca em sua composição.

Na Itália, os tipos de farinha são classificados de acordo com o teor de glúten e, nos Estados Unidos, essa classificação é ainda mais meticulosa – você pode encontrar farinha para pães branqueadas naturalmente e farinhas integrais para pães feitas de um grão inteiro e com baixo teor de glúten.

Fique ligado nisso ao comprar sua farinha, ok?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre os tipos de farinha, compartilhe nos comentários: qual é o tipo de farinha que você mais gosta de manusear e qual a sua melhor receita feita com ela?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *