marcas de cerveja

Bem, é dispensável dizer que todo bar precisa ter cerveja – e muita. Com a popularização das micro cervejarias e das cervejas “premium”, é preciso oferecer uma boa variedade, tanto de marcas de cerveja quanto de tipos: pilsen, weiss, bock, stout, porter, pale ale, draft e muitas outras. Entretanto, as cervejas “tradicionais” continuam gerando maior caixa e movimentação e garantem o fluxo de um bar. A questão é: que marcas de cerveja priorizar ou incluir?

Marcas de cerveja obrigatórias

marcas de cerveja 3Antes de tudo, é preciso considerar questões de preço e margem de lucro. A bem da verdade, muitos donos de bares não contam com apoio direto das cervejarias de grande porte e, por incrível que pareça, pagam por seus pedidos preços não muito diferentes dos praticados para o consumidor em supermercados e “atacarejos”.

No caso dessas cervejas “commodity”, é sempre bom verificar as condições de compra com CNPJ em atacados – muitas vezes consegue-se preços melhores do que solicitando às engarrafadoras. Dito isso, vamos à lista das cervejas mais consumidas no país:

Skol

A Skol ainda é a líder absoluta do segmento no país, que envolve basicamente cervejas pilsen ou, como afirmam alguns especialistas, “American Draft”. Como as demais cervejas de grande volume de venda no Brasil, emprega maltes como o de milho e possui mais refrescância do que cervejas europeias, por exemplo.

Brahma

A Brahma é outra das preferidas do brasileiro. Juntamente com a Skol, figuravam entre as dez cervejas mais vendidas em todo mundo, em volume, até o ano de 2012. A Brahma também é uma das mais antigas cervejas no mercado brasileiro – ela é produzida desde 1888.

Antarctica

A Antarctica fecha a “tríade” das cervejas mais vendidas no Brasil, um cenário que não vê mudanças há quase 30 anos. Mais amarga, a cerveja agrada um público ligeiramente diferente dos consumidores de Brahma e Skol.

O segundo escalão das cervejas de venda “varejão” incluía uma série de marcas de cerveja que, em geral, operam em um nível de preço um pouco (e até muito) abaixo das três campeãs em vendas. Essas cervejas geralmente atendem a públicos menos exigentes, mas que apreciam e consomem cerveja em grande volume. Entre as marcas do segundo escalão, todas com vendas expressivas, estão a Nova Schin, a Kaiser, a Itaipava, a Crystal, a Devassa e a Sol.

Há ainda um terceiro escalão, com cervejas ainda mais populares em termos de preço – o que pode ser uma boa a depender da localização e público de seu bar. São cervejas baratas que, embora possuam qualidade inferior às principais do segmento e não possuam sabor amplamente aprovado pela clientela, vendem “como água” para as classes C e D. São marcas de cerveja como Lokal, Guitt’s, Belco, Polar e outras mais. Para comerciantes, os preços de compra dessas marcas em atacado podem chegar a menos de metade dos preços pagos por cervejas como Brahma ou Skol.

Como tornar uma cerveja simples mais interessante

Há muitas cervejas de alto padrão no mercado, mas se você tem um bar simples e pouco poder de investimento, provavelmente deve optar pelas marcas mais populares que citamos acima. Se esse é o seu caso, há uma forma de refinar seu atendimento investindo uma única vez: você já pensou em servir utilizando copos especiais para cada tipo de cerveja? No material a seguir, falei especialmente sobre isso. Ao baixá-lo, você conhecerá os tipos de copos de cerveja existentes e, ao utilizá-los, certamente atrairá os clientes mais exigentes. Confira:

marcas de cerveja - lead magnet

Novidades no primeiro escalão

marcas de cerveja 2Os últimos anos trouxeram novidades para o primeiro escalão de cervejas de grande volume de venda. Há um bom tempo, marcas de cerveja tidas como “diferenciadas”, comercializadas pela Ambev e outras grandes cervejarias, conseguiam preços maiores nos bares, apesar de custarem praticamente o mesmo ao comerciante. Três cervejas sempre se destacaram nessa categoria: Bohemia, Original e Serramalte.

Contudo, nos últimos anos diversas marcas estrangeiras de renome – todas entre as mais vendidas no planeta – foram incluídas no varejo brasileiro. Essas marcas ainda são vistas como “especiais” por grande parte da clientela e, embora tenham a mesma faixa de preço das demais cervejas de primeiro escalão, possuem maior percepção de valor.

Em outras palavras: é possível cobrar mais caro e conseguir mais lucro.

Cervejas como a Budweiser, a Heineken, a Stella Artois e a Amstel foram recentemente incluídas no Brasil e hoje são produzidas localmente, e também engarrafadas na tradicional garrafa de 600ml. A vantagem é o preço de venda – a maioria dos bares que vende uma garrafa de Skol ou Brahma a R$ 9,00 ou R$ 10,00, consegue vender cada garrafa dessas marcas por R$ 11,00 ou R$ 12,00 com facilidade.

A maioria dos bares que atendem a um público das classes A e B compõe seu menu básico de cervejas do seguinte modo:

  • Uma ou duas marcas de cerveja mais populares, como Skol e Brahma.
  • Uma ou duas das cervejas “especiais” brasileiras, como Original e Serramalte.
  • Pelo menos um das cervejas “estrangeiras”, mas que já são produzidas aqui, como Heineken ou Budweiser.

Essa oferta garante uma boa possibilidade de opção e o equilíbrio certo entre a qualidade percebida pelo cliente e o quanto ele está ou não disposto a pagar. É claro que há um último fator a considerar: cervejarias por vezes oferecem acordos de exclusividade e parcerias nas quais seu bar é obrigado a restringir a carta de cervejas, porém em troca de vantagens no preço ou no apoio da marca (cessão de mesas, copos, etc). Convém sempre ouvir cada uma das marcas de cerveja e avaliar as possibilidades de lucro e saída.

Marcas de cerveja artesanais

marcas de cerveja 4Para bares com um público mais endinheirado, oferecer pelo menos um rótulo de cerveja artesanal ultimamente se tornou praticamente uma obrigação. Essas marcas não possuem grande volume de saída, mas podem ser vendidas a preços que variam entre R$ 15,00 e R$ 30,00 a garrafa.

O mercado brasileiro de micro cervejarias cresce a olhos vistos e algumas delas, inclusive, vêm sendo adquiridas pelas grandes marcas de cerveja, para atuar nesse mercado. Em relação às cervejas artesanais, além de marcas que já se tornaram célebres, como Eisenbahn, Colorado, Madalena e tantas outras, há sempre a questão do regionalismo envolvida.

Por exemplo, se você atua no ABC paulista, é de bom tom oferecer uma marca da região: Madalena (Santo André) e Votus (Diadema), por exemplo, já tem projeção no mercado regional. Se você está em Belo Horizonte, as cervejarias Wäls e Bäcker são boas opções. Em Curitiba, marcas de cerveja como Bodebrown e Bier Hoff já caíram nas graças do público.

A regra é pesquisar, visitar, provar e fechar um bom acordo de parceria para levar a marca até seu bar. Com produção limitada e geralmente tocadas e organizadas pelos próprios sócios, essas micro cervejarias têm maior flexibilidade de negociação e oferecem parcerias que podem beneficiar seu bar e seu cardápio, sem ferir o seu bolso.

Agora que você já sabe quais são as marcas de cerveja mais vendidas e já pode escolher as melhores para seu bar, compartilhe conosco nos comentários: qual a marca mais popular em seu estabelecimento?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *